quinta-feira , 20 / julho / 2017
Início / Categorias / Inspiração / Couchsurfing e as histórias que só quem viaja tem pra contar

Couchsurfing e as histórias que só quem viaja tem pra contar

Sempre tive vontade de realizar trabalho voluntário no exterior, mas as pesquisas que fiz na internet me desanimaram quando descobri que seria muito difícil encontrar algum que fosse gratuito. Acho um absurdo pagar fortunas para agências de viagem e acabei desistindo temporariamente da ideia.

Durante a volta ao mundo tive a chance de conhecer organizações, o que me deu a chance de ajudar sem o intermédio de agências. Infelizmente aconteceram problemas e não consegui ficar tanto tempo no lugar, até contei sobre minha experiência com trabalho voluntário.

Leia também => Saiba as reais vantagens de contratar um seguro de viagem

As 10 principais dicas e segredos para acumular milhas aéreas

Esses dias conheci o projeto da Letícia Mello, que viajará um ano pela Ásia atrás de trabalhos voluntários. O Do For Love Project ainda está no começo e tenho certeza que poderá ajudar muita gente que gostaria de ter experiências de voluntariado, mas desanima quando descobre que muita gente quer ganhar dinheiro com isso.

A Letícia também passou por perrengues, um deles para visitar a ilha tailandesa de Koh Samui. O texto é incrível e pedi sua autorização para publica-lo aqui no blog.

Obrigado Letícia. Boas energias e sucesso com o projeto!!!

Precisa de moeda estrangeira e gostaria de receber em casa?
Desconto nesse link ao comprar online na Bee Câmbio »

 

Histórias que só quem viaja conta

Trabalho voluntário gratuito no exterior.

Para quem não conhece o Couch Surfing é um site no qual você se cadastra para receber viajantes em sua casa, não importando se é um quarto vago, um cantinho no chão ou uma rede de dormir. Se por um acaso você não tiver um espaço livre, você pode simplesmente combinar para mostrar a cidade ou tomar um café.

A única vez que eu usei o Couch Surfing foi durante a faculdade, quando recebi no meu sofá-cama um Americano que estava viajando o mundo. Foi fantástico. Depois acabei viajando e nunca mais utilizei o site.

Viajar de mochilão e com pouca grana é um poço de incertezas, como o que aconteceu comigo. Eu saí de Bangkok e fui direto para a ilha de Koh Tao que fica a leste da península, no Golfo da Tailândia. Como estava com a minha amiga alemã, dividimos um bungalow na beira da praia e aproveitamos ao máximo a nossa estadia curta de 2 dias. O nosso próximo destino foi Koh Samui onde a alemã havia entrado em contato com uma mulher que é dona de um abrigo para cães e gatos, ela precisava de ajuda com o administrativo da instituição e em troca poderíamos dormir lá. Achamos que seria uma experiência interessante e como viajar essa parte turística da Tailândia estava afundando o meu orçamento, seria bom economizar um pouco durante uns dias.

Saímos de Koh Tao as 10h, pegamos carona na carroceria de camionetes, umas 4 horas de barco, mais 1 hora de “taxi” e mais 1 hora esperando a chuva passar para chegar ao tal abrigo. Sem contar a mochila de 16kg nas costas e o calor. Eu adoraria dizer que foi um alívio chegar ao abrigo, mas quando cheguei lá me deparei com uns 30 cachorros e gatos, todos andando dentro da casa, fazendo xixi em tudo quanto era canto, inclusive no meio do quarto em que ficaríamos, que era também o quarto do gato mimado deles. O cheiro era insuportável. Vi os gatos comendo em cima da pia, ao lado dos pães.

A minha amiga alemã disse que ficaria apesar de tudo e me pediu desculpas, já que ela não sabia que as condições do local eram tão péssimas. Comecei a procurar hostels e estavam todos cheios, com exceção de um que tinha vaga apenas para aquela noite. Já havia passado das 23h quando cheguei no hostel com as minhas malas e no outro dia acordei cedinho para procurar outro lugar.

Foi então que me lembrei do Couch Surfing. Atualizei as informações do meu perfil e enviei em torno de 5 pedidos para um lugar para ficar. Em menos de meia hora tive retorno de um polandês, instrutor de mergulho que mora aqui. Detalhe: ele estava no hospital e me pediu para ir até lá pegar a chave da casa dele. Quando você viaja, coisas estranhas acontecem. Peguei o mochilão e fui para o hospital, um nativo havia dado um soco nele durante um dos mergulhos e ele precisava ficar em observação, mas estava bem. De quebra, ganhei uma carona na ambulância do hospital até a casa dele, pois ele precisava buscar o passaporte. Eu ria por dentro da situação em que eu estava.

Para encurtar a história, ele estava indo no outro dia para a ilha de Koh Tao, pois estava dando cursos de mergulho lá. Deixou comigo não só a chave da casa dele (super simples, mas limpa e fica a 5 minutos da praia), mas também da sua moto. Sim, o cara é corajoso e deve ser meio doido também. Deixou também o telefone de amigos para que eu tivesse com quem sair e me deixou ficar em seu quarto, já que o que ele tinha para me oferecer era apenas um colchonete de yoga no chão. Simples, mas de bom coração.

Quando deitei a noite para dormir eu não conseguia parar de rir de mim mesma. Em pouco mais de 24 horas havia dormido em um bungalow de frente para a praia e ido parar em um abrigo de gatos e cachorros; utilizado todos os meios de transportes possíveis, inclusive o de uma ambulância; ficado sem ter para onde ir e agora tinha casa e moto numa ilha paradisíaca da Tailândia, bem no momento em que eu precisava segurar um pouco a grana. Não dá pra negar que em alguns momentos bate o desespero e sinto falta dos meus confortos e certezas, mas o importante é não se abalar e seguir em frente, tendo a certeza de que é possível encontrar uma outra saída. É incrível como pessoas que nem te conhecem te ajudam, quem sabe muito mais do que pessoas próximas o fariam. E viajar me faz entender ainda mais a importância do momento presente, da necessidade que temos de viver o agora, pois do amanhã nada sabemos.

Vai viajar? Comece a planejar sua viagem!

seguro viagem

Nunca se esqueça do Seguro Viagem! Além de ser obrigatório para entrar nos países da Europa, é essencial a contratação caso você tenha viagem marcada para qualquer lugar do mundo. Veja como o seguro me salvou na Alemanha, quando precisei de internação devido a uma infecção alimentar. Também precisei usar meu seguro viagem nos Estados Unidos, logo quando estava curtido uma das ilhas do Hawaii…acabei economizando R$ 2.000,00. Sem contar que auxilia quando há extravio de bagagem ou qualquer outro imprevisto. Utilize o comparador da Seguros Promo, que faz a pesquisa entre as melhores seguradoras para você economizar tempo e dinheiro. Por serem parceiros do blog, nós recebemos uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Ao contrário, leitores do blog ganham 5% de desconto usando o cupom QUEROVIAJARMAIS5. O pagamento pode ser feito em até 12 x no cartão, ou com + 5% off no boleto bancário!

celular no exterior

Saia do Brasil com internet 4G (Confira o comparativo entre os chips)

reserva de carros

Compare os melhores preços para alugar um carro na Rent Cars => Saiba mais

Cadastre seu email para receber nossas atualizações!

Sobre Guilherme Tetamanti

Paulistano de 35 anos e muita história pra contar. Amo e odeio a selva de pedra, e por isso faço de tudo pra viajar. Sou empresário, administrador de empresas e criador de algumas lojas virtuais. Vendi tudo em 2011 para realizar o sonho de fazer uma viagem de volta ao mundo e praticar fotografia, uma de minhas paixões. Sempre fugi das aulas de redação, mas a vontade de viajar, fazer novas amizades e compartilhar minhas andanças, me motivaram a criar o Quero Viajar Mais.

Confira Também

A saga de minha experiência como voluntário no Camboja

Takeo é uma pequena cidade localizada 2 horas ao sul de Phnom Penh. Sinceramente, não …

10 Comentários

  1. Josiane Jardim

    OLÁ, GUILHERME. ESTOU INDO PARA CUSCO, (me favorecendo de várias de suas dicas) DIRETO DA RODOVIÁRIA TIÊTE 3DIAS E 8HORAS, MAIS OU MENOS.
    CASO RESOLVA IR POR OUTRA EMPRESA, SAINDO DA BARRA FUNDA – IRIA ATÉ SANTA CRUZ -BOLÍVIA-E DE LÁ VÁRIAS BALDEAÇÕES ATÉ CUSCO.

    MINHA DÚVIDA: DE SANTA CRUZ / LA PAZ / COPACABANA / À CUSCO, QTO HORAS LEVA NO TOTAL?
    POIS, TENHO RESERVA NO HOSTEL EM CUSCO PARA CHEC-IN 09SETEMBRO 15.
    SE SAIR DAQUI NO SÁBADO 05SET, CHEGO A TEMPO EM CUSCO?

    ATENCIOSAMENTE
    GRATA

    JOSI JARDIM (Facebook)

  2. Jackson Pereira

    Tenho acompanhado o blog do viajando com eles, muito show…Parabéns Guilherme! fantástico a historia da Letícia Mello, só loko pra fazer uma viagens dessas de voluntario…nunca saiu da cabeça…vai ajudar muito pra mim que nunca fiz uma dessas. abraços!

  3. Amei essa aventura!!!!
    Couchsurfing é tudo de bom!

  4. Caraca, que história foda!

    São essas coisas que fazem a diferença na nossa vida né, mto legal

    Abraços

  5. Conheci o projeto da Letícia através do seu blog e ando acompanhado as aventuras dela, principalmente porque ando perdida sobre o assunto voluntariado. Ainda estou morando na Austrália e também quero fazer trabalho voluntário no Sudeste Asiático!!
    Obrigado por compartilhar projetos como o seu e o da Letícia!
    Abraço

    • Oi Laise,

      Eu fiquei com uma inveja boa dela viu. Além de coragem, ela ainda faz tudo isso querendo ajudar outras pessoas. Admiro muito sua história.

      Legal saber que irá ajudar.

      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *